O que saber sobre fonemas, fonética e fonologia

A complexidade da língua portuguesa, às vezes, pode confundir as pessoas. Uma das dúvidas mais comuns, por exemplo, é como e quando usar “mas” e “mais”.

Portanto, é importante não só conhecer a ortografia do português e sim toda sua extensão para melhor uso da língua. Nesse post, mostraremos o que saber sobre fonemas, fonética e fonologia.

A ortografia tem a função de determinar padrões para as palavras escritas de determinada língua. Essa escrita está diretamente relacionada aos critérios etimológicos (ou seja, ligado às origens das palavras) e fonológicos.

A ortografia é fruto de convenções e acordos ortográficos que envolvem, no caso do português, todos os países que falam essa determinada língua.

A melhor forma de treinar a ortografia já é conhecida e bem simples: ler mais, escrever e até consultar dicionários para conhecer melhor as apalavras e como empregá-las.

fonemas 2

Confira tudo sobre fonemas, fonética e fonologia.

Conheça as definições e conheça tudo sobre fonemas, fonética e fonologia.

Fonologia

A fonologia é uma palavra formada pelo elemento grego “fono”, que significa som ou voz, e “logia”, que significa estudo ou conhecimento. Sendo assim, fonologia – por definição literal – é o estudo do som, da voz. Quando uma pessoa fala, emite um som. A fonologia é a parte da gramática que estuda esses sons.

Resumindo, de forma bem simples, a fonologia é a área da linguística que estuda o sistema sonoro de uma língua e a forma que esses sons (fones) se organizam dentro de um idioma.

Na fonologia, o indivíduo estuda, além do som, a classificação e sua organização. Outro objeto de estudo na fonologia são as diferenças fônicas intencionais e distintivas, ou seja, que se unem às diferenças de significado e estabelecem a relação entre esses elementos de diferenciação e a condição que se combina com outros para formar palavras, frases, etc.

Na classificação, a fonologia organiza os sons em unidades distintas, que são capazes de diferenciar significados, os chamados fonemas.

Fonemas

As pessoas possuem formas diferentes de pronunciar os sons na hora da fala. É intitulado fonema o menor elemento sonoro que seja capaz de estabelecer distinção de significado entre duas palavras.

Exemplificando, as palavras “amor” e “ator” possuem fonemas nas letras M e T que distinguem seus significados. Outros exemplos são os pares “morro” e “corro” e também “vento” e “cento”.

Os segmentos sonoros referentes a uma língua (no nosso caso, a portuguesa) ficam armazenados na memória. Essa “imagem acústica” que, como falante da língua portuguesa, guarda e se torna uma referência de padrão sonoro, que constitui o fonema.

fonemas 1

Os fonemas formam os significantes do signo linguístico: significado e significante.

Os fonemas formam os significantes do signo linguístico, que são elementos representativos que apresentam dois aspectos, significado e significante (exemplo: ao ouvir a palavra gato, você reconhece a sequência de sons que forma essa palavra). Os fonemas são representados, geralmente, entre barras (/m/; /a/; /v/; /b/; etc.).

Uma dúvida comum de quem começa a procurar o significado de fonema é confundir com letras. Isso não deve acontecer.

O fonema é representado na língua escrita por sinais chamados letras, ou seja, a letra é a representação gráfica do fonema. Na palavra sapo, a letra S representa o fonema /s/ (lê-se “sê”).

Outro motivo de não poder se confundir letra com fonema é o fato de, às vezes, um fonema pode ser representado por mais de uma letra, como no caso do fonema /z/, que pode ser representado pelas letras Z, S ou X (por exemplo, as palavras casamento, zebra e exílio tem o mesmo fonema).

E o inverso também pode acontecer, ou seja, uma letra pode representar mais de um fonema, como a letra X, que pode representar o fonema “sê” (encontrado na palavra texto), “zê” (exibir), “chê” (enxame) e o grupo de sons “ks” (táxi).

O número de letras nem sempre coincide com o número de fonema, a palavra “tóxico” possui 6 letras e 7 fonemas, por exemplo.

Outra particularidade é que nem sempre as letras M ou N representam fonemas (nas palavras “compra” e “conta”, as letras representam a nasalização das vogais que as antecedem) e a letra H, ao iniciar uma palavra, não representa fonema.

Fonética

A fonética tem como função estudar o som como aparelho fonador e descrever e analisar os sons.

Cada pessoa possui uma forma própria de falar, proporcionando diversas particularidades, na pronúncia, estudadas pela fonética. A unidade mínima de estudo é o fone, ou seja, o som da fala.

Além disso, a fonética também estuda a natureza física da percepção e produção da fala. O foco desse estudo é o significante, não o conteúdo da fala. Pode ser dividido em três categorias:

  • Fonética articulatória: Estuda como os sons são produzidos.
  • Fonética acústica: Estuda as características físicas dos sons da fala.
  • Fonética auditiva: Analisa os processos realizados pelo receptor no momento do recebimento e interpretação da onda sonora.

No post de hoje, passamos algumas dicas preciosas sobre fonemas, fonética e fonologia. Saber como falar corretamente, lhe auxilia a escrever melhor, com mais facilidade e criatividade. Desenvolver essa parte do intelecto, juntamente com outros aspectos já falados no blog, como a adequação à reforma ortográfica (ocorrida em 2013) e como escrever seu livro, caso seja esse seu interesse.

Já conhece o RevisaJá?

Agora que você sabe um pouco mais fonemas e de que maneira esse conhecimento pode trazer melhorias para sue texto ou TCC, que tal conhecer os serviços oferecidos pelo RevisaJá?

Estamos sempre prontos para lhe atender.

Entre em contato

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *